quinta-feira, 30 de setembro de 2010

"Açucar com gosto de féu"

FILA PARA CARREGAR AÇÚCAR NOS PORTOS DO PAÍS CAI "SÓ" PARA 43 NAVIOS.

A fila para carregar açúcar nos portos brasileiros diminuiu para 43 navios na semana encerrada em 29 de outubro, nove a menos que na semana anterior, segundo a agência marítima Williams Brazil. Os navios agendaram o embarque de 993.210 toneladas no próximo mês, em comparação a 1,3 milhão de toneladas no relatório da semana anterior.

A maior parte do açúcar será embarcada pelo porto de Santos, de onde sairão 721.670 toneladas, ante 1,01 milhão de toneladas na semana passada. Em seguida vem o porto de Maceió, com previsão de embarque de 137.940 toneladas. Para o porto de Paranaguá a previsão de embarque é de 51.900 toneladas.

A maior parte do açúcar a ser exportado é da variedade VHP, somando 760.760 toneladas, contra 1,06 milhão de toneladas na semana anterior. O volume de açúcar cristal alcançou 159.750 toneladas, ante 180.496 toneladas na semana passada. As informações são da Dow Jones.

Essa logística toda, este açúcar todo, isso tudo é o retrato dos "pobres coitados" dos usineiros e dos abastados de nós consumidores. Com essa demanda por açúcar "minúscula, insignificante, o preço dos combustíveis irão disparar daqui para frente, ainda mais agora que tem a seca, a chuva, a primavera, o outono, as eleições, etc., etc., como desculpa para os reajustes abusivos nos combustíveis. Mas como estamos aqui no "quinto mundo", que se dane o povo, que se dane os pobres, o meio ambiente, enfim que se dane tudo.

PS: Aproveito aqui o "MEU ESPAÇO" para cumprimentar a ANP - AGÊNCIA NACIONAL E PETRÓLEO - pseudo AGÊNCIA REGULADORA, pelo "brilhante desempenho nas políticas reguladoras dos combustíveis, onde se regula exatamente como o povo brasileiro vai pagar a conta e não o benefício há este.

Mas, também, é muita hipocrisia imaginar que as 3 ESFERAS DE GOVERNO que temos, ou seja, a Federal, a Estadual e a Municipal se importam com o povo, a não ser quando este mesmo povo tem que pagar o salário desse monte de PICARETAS que governam nosso pais, nossos estados e nossas cidades.

Aqui na minha "terrinha" a administração publica recebe prémio de todo lado. Meio ambiente, Incubadora de Empresas, Prefeito Empreendedor, e daí vai, mas o estranho é ninguém conseguir ver o resultado dessas ações em prol da sociedade que levaram a merecer os prêmios, a não ser os próprios ganhadores, é claro.

Mas é isso aí, o tempo passa e acho cada vez mais que o errado sou eu. Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade, Eficiência, Finalidade, Interesse Público, Razoabilidade e Motivação são besteiras que não servem para nada.

O correto é esquema com canalização de córregos; esquemas de ajustes de crimes contra o meio ambiente; esquemas de protecionismos ilícito a empresas de maior porte; esquemas de pagamento por empresas de honorários para pseudos-consultores que são também servidores com cargos de "CONFIANÇA", ou seja, SECRETÁRIOS; esquemas com desvios de remédios; esquemas com fundo de campanha; esquemas com compras sem licitações de empresas de servidores públicos; esquema de "volta" de recursos para compor a comissão de políticos que "liberaram" a mesma; esquema com, esquema com, esquema com, e daí vai.

Isso é o certo: Esquemas, ajustes, parcerias, comissões, propinas, crimes, estelionato.......

Mas como estamos em um Estado Democrático de Direito, isso tudo é baléla, podemos dizer que a democracia de direito dá aos "bandidos de plantão" a tranquilidade para cometerem crimes e a presunção de, de repente, tal vez, remotamente possível, um dia serem pegos. Como não tem gente para fiscalizar tanto esquema e tanto bandido junto, esqueça a parte da presunção e fique somente com a da tranquilidade.

MACHADO FILHO

Educação para Sustentabilidade.

Crianças da comunidade de Sena Madureira, Acre
Um trabalho voltado para o ser humano, gerando ações que ajudem na conservação. Para o WWF-Brasil, transformar e aprimorar o olhar das pessoas diante da Natureza e sintonizar suas atitudes com a complexa trama das questões ambientais é o caminho para a sustentabilidade.

Para isso, a organização mantém o programa Educação para Sociedades Sustentáveis se dedica a processos formativos e ao tema Pegada Ecológica, eixo de diversas ações promovidas pela Rede WWF. Seu público vai de lideranças comunitárias a escolas, de gestores públicos a proprietários rurais, passando ainda por jovens, instituições e gestores de unidades de conservação.

O programa atua de maneira transversal, apoiando outras áreas do WWF-Brasil. A partir dessas parcerias, define abordagens educativas para os temas trabalhados pela instituição como recursos hídricos, consumo consciente, biodiversidade, mudanças climáticas, desmatamento, entre outros. Além disso, apoia atualmente projetos em três biomas brasileiros: Cerrado, Pantanal e Amazônia.

Eu sou voluntário: MACHADO FILHO

Deixe de ser demagogo sobre "Sustentabilidade" e começe a agir.
Suas palavras não surtiram efeitos se você não colocá-las em prática.
Seja digno para com seus filhos e para com o futuro do nosso planeta.
Nossa omissão ecoará pela eternidade.

sábado, 25 de setembro de 2010

Presidente do Banco Vaticano é investigado por "lavagem de dinheiro"

22.09.2010 - 09:52 Por Sofia Lorena

É "banqueiro de Deus" há menos de um ano e soube ontem que está sendo investigado por suspeitas de envolvimento em "lavagem de dinheiro". Ettore Gotti Tedeschi é o presidente do Instituto para as Obras Religiosas, nome oficial do Banco Vaticano, uma instituição privada com sede da Cidade do Vaticano, fundada em 1942 pelo Papa Pio XII.







Bento XVI escolheu Tedeschi ano passado.






A Procuradoria de Roma congelou 23 milhões de euros nas contas do Banco Vaticano e lançou uma investigação contra o presidente da instituição e um segundo responsável do banco, não divulgado.

Os dois são suspeitos de não terem respeitado uma cláusula de uma legislação anti-lavagem que em 2007 tornou obrigatória a referência dos autores de transações financeiras, tal como o seu objetivo e natureza.

A polícia financeira suspeitou de duas transações recentes, bloqueando-as: numa foram transferidos 20 milhões de euros para o JP Morgan de Frankfurt; na outra, três milhões de euros saíram do Banco Vaticano para uma conta do italiano Banco del Fucino. Os dois responsáveis não são suspeitos de lavagem direta de dinheiro proveniente de atividades ilícitas, mas de omitirem os nomes dos autores destas transações.

Tedeschi não comentou a investigação, mas o Vaticano exprimiu a sua "perplexidade quanto à iniciativa da Procuradoria, tendo em conta que os dados necessários já estão disponíveis junto do serviço competente do Banco da Itália e que operações idênticas acontecem regularmente com outros estabelecimentos de crédito italianos". A Santa Sé, através de um comunicado do seu secretário de Estado, o cardeal Tarcisio Bertone, assegurou ainda a sua "confiança total no presidente e no diretor-geral" do Banco Vaticano, Paolo Cipriani.

Tedeschi chegou ao cargo referido em Itália como "banqueiro de Deus" no fim de Setembro do ano passado. Antes era representante do grupo espanhol Santander na Itália. Católico devoto e conselheiro próximo do atual ministro das Finanças, Giulio Tremonti, ensinou Ética Financeira, a sua especialidade, na Universidade Católica de Milão.

Aos 64 anos, Tedeschi foi chamado para limpar contas e dar moralidade ao Banco Vaticano, após a divulgação de documentos que revelavam a existência de uma rede de contas secretas que tinha funcionado como um banco dentro de um banco durante a operação Mãos Limpas, em 1993, altura em que a instituição se terá transformado numa "lavand
eria de dinheiro para a máfia, para a economia e para a política italiana", escreveu em 2009 o jornal "El País", a propósito do livro "Vaticano SPA". Mãos Limpas foi a investigação judicial que denunciou as ligações entre a máfia e a política e provocou a implosão do sistema partidário italiano.

O mandato do antecessor de Tedeschi só acabava em 2011.

Tedeschi é muito próximo de Bertone e da Opus Dei, uma instituição católica ortodoxa. Nascido em Piacenza (Lombardia) era já há anos colunista do jornal do Vaticano, o Osservatore Romano. No seu livro Dinheiro e Paraíso, a Economia Global e o Mundo Católico, defende "a superioridade de um capitalismo inspirado na moral cristã" face a um capitalismo de índole protestante.

Uma ponte e veneno

O Banco Vaticano gere as contas das ordens religiosas e das associações católicas. Tem um património estimado em 5 mil milhões de euros, funciona sem recibos e os seus clientes só são identificados através de um número.

Entre os muitos escândalos que atravessou ao longo de quase 70 anos de existência, o mais importante aconteceu há 28 anos, quando ficou provado o seu envolvimento na falência fraudulenta do Banco Ambrosiano, de que era o principal acionista. A investigação mostrou que o Ambrosiano reciclava dinheiro da Cosa Nostra, a máfia siciliana, num processo que envolvia a P2, uma loja maçônica iregular e ilegal, que trabalhava para a CIA.

Roberto Calvi, então diretor do Banco Ambrosiano, foi encontrado enforcado na ponte Blackfiars de Londres, em Junho de 1982.

Fonte: Jornal Público 20 - Lisboa - Portugal

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Missão americana aprova carne brasileira

Depois do imbróglio em maio com a carne de boi cozida brasileira, que foi barrada nos Estados Unidos por exceder o nível máximo permitido do vermífugo invermectina, a missão americana que esteve no Brasil para inspecionar plantas e frigoríficos voltará hoje com a avaliação de que o sistema de segurança alimentar doméstico é similar ao dos EUA.

É pena que logo-logo essas mesmas plantas que foram aprovadas voltam a "bichar" sua credibilidade, voltando a praticar aqueles mesmos atos infracionais que barraram exportações em maio.

Essa é uma prática mais do que comum aqui no "primeiro mundo".

Na terra do "levar vantagem" não se pode fazer as coisas da maneira certa, mas sim "somente levando vantagem", mesmo que esta vantagem acumule prejuízos 'MAIORES" que a vantagem obtida.

Isso é BRASIL. Terra de gente esperta e cheia de esquema para dar. Não seria "cheia de amor para dar??

Mas amor enche o bolso de alguém?? Então "ESQUEMA NELES".

No meu tempo de "Assistente de Contabilidade" em um grande frigorífico do interior paulista, há mais de 25 anos, não havia esses esquemas internacionais na exportação de carnes, SÓ O ESQUEMA DE PAGAMENTO  DE PROPINA DO "SIF", onde o frigorífico realizava "doações" ao órgão para que as "vistas grossas" fossem mantidas.

Era prática comum?

Prática comum nunca foi fazer o certo, cumprir a lei, mas sim quem tem a maior competência para ir mais longe fazendo o errado sem ser "incomodado".

Machado Filho.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

"UMA VERGONHA NACIONAL"

Cadê o Ministério Público Federal e a ANP que não estão enxergando esse abuso?

Código de Defesa do Consumidor? Isso é um crime que lesa o direito coletivo e difuso.

Maior produtor de etanol e açucar do mundo, o BRASIL faz seu povo amargar preços descontrolados com reajustes ao bel prazer dos usineiros.
Como o açucar é a commoditie que mais produz rentabilidade comercial, produz-se mais dela e dimiui-se a produção do etanol. Com isso aumentam as exportações de açucar e aumenta o preço do etanol. Lógica, correto?

O consumidor tem que ficar no prejuízo, correto? Correto!

Os usineiros não podem amargar prejuízo (para não dizer obtenção de lucro menor),  como o governo também não pode ter sua receita em arrecadações de tributos diminuída. Seria um GRANDE problema esses dois seguimentos terem suas contas ajustadas, então "QUEM DEVE PAGAR A CONTA É O CONSUMIDOR".
UM ABSURDO....

Com o aumento de receita das usinas pelas exportações do açucar, transbordam os caixas sucroalcooleiros e ainda comsumidor brasileiro tem que pagar mais caro pelo etanol, sou seja, não satisfeitos com o super-lucro do açúcar, porque não do etanol também? O povo financia mesmo, então faturar e faturar são as metas sucroalcooleiras.

O povo!  Que povo? Aquele que nunca tem seus direitos protegidos ou defendidos, pois o POVO é pobre e pobre não tem vez onde vivemos.

E ainda existem os eternos palhaços que falam em defesa do consumidor.

Veja o quanto segue:



"NÓS FINANCIAMENTOS AS GRANDES FORTUNAS" 

Etanol continua competitivo em 12 estados e no Distrito Federal

Os preços do etanol seguem competitivos nos postos de combustíveis de 12 estados brasileiros e também no Distrito Federal em relação à gasolina, de acordo com dados divulgados na sexta-feira pela Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), compilados pelo AE-Taxas, referentes à semana terminada em 18 de setembro.

Atualmente, o etanol está competitivo nos Estados de Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins, além do Distrito Federal. Nos Estados de Espírito Santo e Santa Catarina, é indiferente a utilização de álcool ou gasolina no tanque. Em 12 estados brasileiros, a gasolina está competitiva no bolso no consumidor.

No Estado de São Paulo, que concentra quase 60% do consumo de etanol, o combustível renovável apresenta a maior competitividade do Brasil, de acordo com os preços compilados pela ANP. Considerando o preço médio da gasolina de R$ 2,409 por litro no Estado de São Paulo, o etanol hidratado é competitivo na região até R$ 1,6863 e, na média calculada pela ANP, o preço em São Paulo ficou em R$ 1,403 por litro, 16,80% abaixo do ponto de equilíbrio entre gasolina e etanol. Na semana, os preços do etanol subiram 0,35% nos postos no Estado de São Paulo.

A vantagem do etanol é calculada considerando que o poder calorífico do motor a álcool é de 70% do poder nos motores a gasolina. No cálculo, são utilizados valores médios coletados em postos em todos os estados e no Distrito Federal.

Segundo o levantamento, em São Paulo, o preço do etanol está em 58,24% do preço da gasolina (até 70% o etanol é competitivo). Em Goiás, a relação é de 57,04%, em Mato Grosso de 58,31%, no Paraná de 60,59% e no Mato Grosso do Sul de 63,11%. A gasolina está mais vantajosa principalmente em Roraima (preço do etanol é 82,56% do valor da gasolina) e no Acre (+81,56%) (DCI, 20/9/10).


"EM PAISES QUE SE PREOCUPAM COM SEU POVO, EXISTEM DURAS LEIS, ONDE PRIMEIRO SE DEFENDE OS INTERESSES DA COLETIVIDADE E, SOMENTE DEPOIS, OS INTERESSES INDIVIDUAIS E, POSTERIORMENTE, SE SOBRAR, OS INTERESSES DE ESTRANGEIROS".

Aqui não, aqui são interesses rentáveis para uma minoria que normatiza isso tudo.

Parabéns GOVERNOs FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL. Suas campanhas pubilicitárias são verdadeiras arapucas de mentiras e esquemas enganosos. Mas então não seriam propaganda enganosas? Rrsrsrsrsrs........Vai você cidadão de bem, gerador de emprego e pagador de tributos se atrever a falar "UMA" mentirinha..... 

No município de Novo Horizonte SP, a secretária do meio ambiente é a mais premiada. Prêmio daqui, prêmio dalí, mas se andarmos pelo MUNICÍPIO (urbano e rural), podemos ver o quão destruído o meio ambiente está. Se aventurarmo-nos mais um pouco pelo GOOGLE EARTH, as imagens via satélite são simplesmente terríveis, pois revelam a olho nú a destruição ambiental causada pelo usinas do município e da região.

"É um verdadeiro deserto que está se consolidando".

Mas como tudo que é demagógico mereçe PRÊMIO, logo outro PRÊMIO será concedido a SECRETÁRIA do MEIO AMBIENTE.

Quanta podridão encrustrada nas veias do poder público.

Machado Filho
ESQUEMA DE DESVIO DE DINHEIRO EM PREFEITURAS?
SUPERFATURAMENTOS?
DISPENÇA DE LICITAÇÕES?
COMPRAS ATRAVÉS DE EMPRESAS LARANJAS DE SERVIDORES PÚBLICOS? 
VERBAS QUE VEM E VOLTAM PARA POLÍTICOS?
ETC., ETC., ETC....

IMAGINA, ISSO NÃO EXISTE!!!!

Contratos de pelo menos seis prefeituras de São Paulo estão sob suspeita; governador de Tocantins é citado na investigação do Ministério Público.

Operação conjunta do Ministério Público Estadual e da Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo prendeu no fim da tarde de ontem seis empresários supostamente envolvidos em um esquema de fraudes em licitações para contratação de empresas de segurança e limpeza.

Contratos de pelo menos seis prefeituras de São Paulo são alvos da investigação - Mauá, Hortolândia, Peruíbe, Indaiatuba, Guarulhos e Campinas.

Segundo o Ministério Público Estadual, políticos e prefeitos podem ter ligações com a organização criminosa. Um único contrato sob suspeita soma R$ 500 milhões. O grupo corrompia agentes públicos para vencer processos de concorrência. A investigação revela contratos elaborados pelos empresários e entregues aos administradores para direcionar as licitações.

A promotoria informou que o governador do Tocantins, Carlos Henrique Gaguim (PMDB), é citado em telefonemas interceptados com autorização judicial. No rastro de um integrante da organização, investigadores descobriram Gaguim e uma comitiva em um hotel em São Paulo.

Como governador tem prerrogativa de foro, o núcleo de Campinas do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco)- braço do Ministério Público - não o investigou. Todas as informações a ele relacionadas serão enviadas segunda feira ao Superior Tribunal de Justiça, corte que tem competência para eventual abertura de inquérito. A assessoria de Gaguim não retornou contatos do Estado, por telefone e por e-mail.

Foram detidos dois policiais civis, Alcir Biason Júnior e Alexandre Felix Sigrist. Eles são apontados como seguranças de uma mansão que servia de base para o grupo em Campinas. Também transportavam valores. Durante meses, agentes da promotoria filmaram o entra e sai de veículos de luxo na casa.

A operação seria deflagrada na terça-feira, mas foi antecipada - os alvos chegaram a trocar telefonemas de alerta e fugiram de Campinas para se hospedar em hotéis de São Paulo com nomes falsos.

Um deputado estadual de Minas também é citado na investigação. Ele teria negócios com a quadrilha na área de mineração. Um contrato, no valor de US$ 400 milhões (cerca de R$ 680 milhões), está sob análise da promotoria. Os negócios são relativos à exploração de uma jazida de manganês no Tocantins.

A investigação nasceu na Polícia Federal há sete meses. Depois, ficou a cargo da promotoria porque os crimes atribuídos aos empresários seriam de competência da Justiça estadual.

A sede das empresas fica entre as ruas Frei Gaspar e Rocha Pita, no Brás, zona leste de São Paulo. Durante toda a tarde a região ficou sob cerco da força tarefa que apreendeu computadores, documentos contábeis e dinheiro.

Foram recolhidos com os suspeitos oito automóveis e motocicletas - Vectra, Subaru, Audi, Mini Cooper, BMW X5, Jaguar, MV Agusta F4 (moto de corrida que vale mais de R$ 300 mil) e Harley Davidson.

Dois lobistas foram capturados em Campinas - Mauricio Manduca e Emerson de Almeida. Relatório da força tarefa imputa ao empresário José Carlos Cepera o papel de primeiro escalão da organização. "Na linha de frente das fraudes estariam funcionários de Cepera, os quais fazem o contato direto com os representantes dos órgãos públicos e também das empresas concorrentes, as quais são aliciadas a participarem do esquema mediante promessa de compensação futura em outra licitação."

PS: Sugerimos investigações também aqui na região de São José do Rio Preto. A grande dificuldade aqui será o número de servidores que serão necessários para investigar tanta prefeitura infratora por traz de tanto esquema. Se necessário for, podemos apontar algumas das mais "descaradas" da região. Mas, segundo as boas condutas de gestão pública criada pelos bandidos de plantão, isso é dia a dia da administração pública, então se for fiscalizar todas as prefeituras o estado de São Paulo trava de tal forma que nem ajuda internacional das maiores potências do mundo iria adiantar. Então mãos a obra, ou, voltemos aos esquemas com as verbas públicas.......

Fonte:

Texto principal by Monitor de Fraudes.
Ps.: Machado Filho

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

FINANCIAMENTOS PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

O BNDES oferece linhas de crédito para investimento em melhorias de processos, renovação ou substituição de equipamentos com vistas à eficiência energética.

As linhas e programas do BNDES possuem características específicas, destacando-se:

Apoio a Projetos de Eficiência Energética - PROESCO

Podem usufruir desta linha de financiamento ESCOs e usuários finais de energia.

Focos de atuação: iluminação, motores, otimização de processos, bombeamento, ar condicionado e ventilação, refrigeração e resfriamento, produção e distribuição de vapor, aquecimento, automação e controle, distribuição de energia e gerenciamento energético.

São financiáveis: estudos e projetos, obras e instalações, máquinas e equipamentos, serviços técnicos especializados, sistemas de informação, monitoramento, controle e fiscalização.

EM PRIMEIRO LUGAR

Nós da MACHADO FILHO só atuamos em projetos que visem a sustentabilidade em nosso bioma. Programas como o Eficiência Energética nas Edificações, Sistema de Gestão da Sustentabilidade e Certificação de Construção Sustentável são nossos pontos de referência. Sem isso não há defesa de operações para captação de recursos.

Não trabalhamos no "dinheiro pelo dinheiro". 

Esse é nosso maior compromisso com o "nosso planeta".


Machado Filho

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

STF recebe primeiro recurso contra lei Ficha Limpa

Esse é um momento importante para a aplicação da lei Ficha Limpa. Embora órgãos da justiça eleitoral, como o TSE (Tribunal Superior Eleiroal), os TREs e o MPE (Ministério Público Eleitoral) já tenham se manifestado a favor da constitucionalidade da lei Ficha Limpa e de sua validade para as eleições desse ano, caberá ao STF (Supremo Tribunal Federal) a última instância de decição da aplicação da lei.

Convocamos todos os cidadãos e cidadãs apoiadores do Ficha Limpa a ficarem de olho nessa decisão.

Mas muito além disso, lembramos que o “voto limpo” é o instrumento mais eficiente para "limpar" as eleições! Independente das candidaturas limpas ou sujas que podem ou não ser aprovadas, sendo qual for a decisão do STF, sabemos que o poder de barrá-los está nos eleitores e a decisão final é do voto.

Abaixo algumas informações sobre o caso no STF e o link para assinatura da petição online, produzida e divulgada pela Avaaz, que será entregue nos próximos dias diretamente ao presidente do STF para pressionar os ministros com a posição da sociedade civil.

Link para assinar a petição online: http://www.avaaz.org/po/ficha_limpa_supremo/?vl


Presidente do TSE encaminha recurso de Roriz ao Supremo Tribunal Federal
Fonte: Correio Braziliense

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF), na noite desta segunda-feira (13/9), o Recurso Extraordinário apresentado pelo candidato a governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC). O processo do ex-governador deverá ser o primeiro julgado pelo plenário do STF relativo à aplicação da Lei da Ficha Limpa.

No despacho, o presidente do TSE ressaltou que o plenário da Corte eleitoral, ao decidir pela aplicação da nova norma, “buscou proteger a probidade administrativa, a moralidade para o exercício do mandato, bem como a normalidade e legitimidade das eleições”. Destacou ainda que a lei “criou novas causas de inelegibilidade, mediante critérios objetivos, tendo em conta a ‘vida pregressa do candidato’”.

Joaquim Roriz teve o registro de candidatura negado por ter renunciado ao mandato de senador para fugir de cassação, em 2007. Prevaleceu, tanto pelo Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) quanto pelo TSE, o entendimento de que a Lei da Ficha Limpa prestigia o princípio constitucional da probidade administrativa e de que as regras de moralização não são penas impostas a políticos, mas um critério de inelegibilidade a ser analisado no momento do registro de cada candidatura.

A defesa de Roriz se apoia principalmente no argumento da retroatividade. Os advogados do ex-governador defendem que a Lei da Ficha Limpa não pode retroagir para prejudicar ninguém e que deve ser respeitada a anualidade do Artigo 16 da Constituição Federal. O item prevê que uma lei que altere regras eleitorais só terá efeito no caso de eleições que ocorram um ano após a referida legislação ser sancionada.

Ministério Público Eleitoral

Também na noite desta segunda-feira, o Ministério Público Eleitoral (MPE) pediu ao Supremo a aplicação da Ficha Limpa no caso Roriz. A vice-procuradora-geral eleitoral Sandra Cureau encaminhou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) as contrarrazões do recurso extraordinário interposto pelos advogados do candidato. Segundo ela, a aplicação da Lei da Ficha Limpa não é inconstitucional.

"A lei foi editada antes mesmo da realização das convenções e está sendo aplicada a registro de candidatura posterior à sua entrada em vigor, e não a registro de candidatura passada", argumenta Cureau.

________________________________________

FICHA LIMPA - A LEI QUE O BRASIL FAZ VALER


O sítio Ficha Limpa – A Lei que o Brasil faz Valer é uma ferramenta de todos os eleitores e eleitoras do Brasil. Participe desse movimento!

Seja o juiz dessas eleições. Decida você quem pode ou não se eleger, confira a vida pregressa de seu candidato. E mais: divulgue essa idéia. O poder desse movimento depende da sua ação. Você também pode decidir.

FISCALIZAÇÃO É FUNDAMENTAL!

O sítio Ficha Limpa está aberto ao controle de toda a sociedade através de ferramenta interativa que permite a fiscalização das informações prestadas pelos candidatos cadastrados. É muito importante que todos contribuam com esse processo!

CANDIDATOS CADASTRADOS

O número de candidatos inscritos aumenta a cada dia, mas ainda são muito poucos se comparados ao universo total de candidatos aos cargos de presidente, governador, senador e deputado federal em todo o Brasil. Cobre de seus candidatos a sua participação e ajude a disseminar essa idéia!

SAIU NA MÍDIA...

Acompanhe as últimas notícias sobre o Sítio Ficha Limpa também através de nossas redes sociais: twitter, facebook, orkut.

NÚMEROS DO SÍTIO FICHA LIMPA

* Total de candidatos que solicitaram cadastro: 163

* Total de eleitores que registraram seus e-mails no cadastro "Eu voto limpo" para receber e-mails sobre o movimento Ficha Limpa: 29.697

* Total de candidatos aprovados: 67

* Total de denúncias recebidas pelo sítio: 18

* Candidatos descadastrados: 1

* Cadastros por cargo eletivo:

o Deputado federal: 53

o Governador: 5

o Senador: 8

o Presidente: 1

Quais eram aqueles outros sites para consulta?

Questão Pública: Invista 8 minutos e decida 8 anos do Senado Federal


Excelências: para saber tudo sobre o seu candidato antes de lhe endereçar o voto.


Extrato Parlamentar: responda as 12 perguntas sobre projetos votados Câmara dos Deputados e compare as suas respostas com a posição de cada deputado.


#WEBCIDADANIA: um agregador de projetos e movimentos que, de diversas formas, pensam e trabalham a cidadania pela web.



NÓS APOIAMOS A MORAL, A ÉTICA E A JUSTIÇA.

Machado Filho

domingo, 12 de setembro de 2010

"CARTÃO DE VISITA"

CONDOMÍNIO

"LAGO DAS GARÇAS"

NOVO HORIZONTE - SP

CULTURA DE CONSÓRCIO

CANA + LIXO + DINHEIRO = CRIME CONTRA A VIDA.

AÇÃO DA CLASSE ALTA EM NOSSA NATUREZA


"PARABÉNS - NOSSAS CRIANÇAS AGRADECEM"


PARABÉNS MÃE NATUREZA.
PARABÉNS POR TER TANTA PACIÊNCIA COM ESSES MARGINAIS.

QUE LIÇÃO DE CIDADANIA E RESPEITO À NATUREZA.

sábado, 11 de setembro de 2010

BNDES - Empresários reclamam de acesso quase impossível..... 
"Empresas reclamam das garantias exigidas, da  falta de conhecimento técnico dos funcionários dos agentes financeiros sobre o enquadramento das operações, da falta de informações mais claras sobre as linhas e da impressionante burocracia para conseguir um empréstimo do banco estatal. Outras situações ainda se apresentam, mas estas são as principais".

São Paulo - Enquanto o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) desembolsa bilhões de reais para megaempreendimentos de infraestrutura e multinacionais, a indústria ainda sofre para ter acesso ao crédito com taxas mais baixas e carências como prazos de pagamento mais extensos.

As empresas reclamam das garantias exigidas, da falta de conhecimento técnico dos funcionários dos agentes financeiros sobre o enquadramento das operações, da falta de informações mais claras sobre as linhas e da impressionante burocracia para conseguir um empréstimo do banco estatal. Outras situações ainda se apresentam, mas estas são as principais".

Pesquisa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) com 318 empresas mostra que 45% dos empresários deixam de investir por não terem recursos próprios suficientes para tirar um projeto do papel ou - para 37% - por não conseguirem acesso ao crédito do BNDES, repassado por outros bancos.

"O caixa se tornou a principal fonte de financiamento de muitas empresas brasileiras", observa o diretor do Departamento de Competitividade e Tecnologia da Fiesp, José Ricardo Roriz. Ele destaca que 74,6% dos investimentos previstos pela indústria neste ano deverão ser feitos com recursos próprios. Isso ocorre porque a taxa de juros dos bancos privados (e públicos) no mercado é muito alta.

Sem alternativa, as empresas buscam o BNDES, que tem o menor custo de financiamento do mercado. Mas nem todas têm sucesso, especialmente as de pequeno e médio portes. Na avaliação de Roriz, a instituição teve um papel fundamental durante a crise mundial, mas agora tem de mudar o foco. "É preciso atender empresas de menor porte que, ao contrário dos grandes conglomerados, não têm acesso ao mercado de capitais, mas têm grande importância para a economia nacional."

O BNDES contra-ataca com dados do primeiro semestre, que mostram avanço de 145% nas operações para pequenas e médias empresas, de R$ 6,8 bilhões para R$ 16,7 bilhões. Os números, no entanto, incluem todos os setores da economia e não apenas a indústria. Por outro lado, a instituição destaca que a maioria das operações voltadas para as médias empresas é feita por meio de outros bancos, que têm exigências específicas para conceder o crédito.

Eis aí a maior falha do sistema BNDES. Agentes repassadores são quem determinam a base fundamental da aprovação ou não das operações. Nossa experiência no setor financeiro de captações nos leva a comentar outras situações um tanto quanto abusivas para não intitula-las como "ilegais". O empresário quando se depara com o gerente de uma instituição financeira começa a enfrentar de cara a grande batalha de sua empresa. O gerente se quer coloca ao empresário que seu banco opera com linhas de repasse subsidiadas. Motivo: LINHAS DE REPASSE SUBSIDIADAS. Isso significa "DINHEIRO COM CUSTO BARATO SEM GRANDES GANHOS PARA A INSTITUIÇÃO FINANCEIRA E COM PRAZOS LONGOS".

De quem é a culpa: Um pouco de cada um, mas a grande responsabilidade é do GOVERNO, que anuncia "APOIO INCONTEST" aos micro, pequenos e médios empresários mas a realidade é outra.

A BNDESPAR - área participativa do BNDES em ativos de GRANDES GRUPOS - cada vez entra mais no setor produtivo brasileiro, mas se esquece da grande potencia que são os micro e pequenos empresários. Aquisições, fusões e incorporações com a participação da BNDESPAR são verdadeiros "absurdos" no mundo dos negócios, pois esta entra em operações com empresas totalmente individadas, com dívidas fiscais alarmantes, com crimes ambientais revoltantes, e depois o sistema BNDES chega ao micro e pequeno empresário e o impõe barreiras sobre garantias, fiscais, pisos e tetos, prazos de abertura e fechamento de operações, entre outros......

Aí sim o BNDES age forte, com cautela, com desconfiança plena. O pequeno captador de recursos que é o culpado pelo GRANDE ROMBO NOS COFRES DO BNDES.

Sobre os agentes financeiros de repasse - BANCOS PÚBLICOS E PRIVADOS - não vale falar muito, pois nada mudou e não vai mudar. "BANCOS FAZEM O QUE BEM ENTENDEM", e o governo não pode comprometer sua fonte de renda vitalícia quando do financiamento das eleições. De onde os amigos acham que sai tanto dinheiro VIVO para cruzar o pais de ponta a ponta em jatinhos e até em situações menos suspeitas, como tambbém em carros blindados??

Nossa atuação afronta todo este "esquema" para trazer para nossos clientes esses "ovos de ouros" que o BNDES distribui aos bilhões para os GRANDES.

Vale enfatizar, também, que a culpa não é exclusiva do sistema financeiro, mas tem grande participação do próprio setor empresarial de micro e pequeno porte. Ontem 10/09 recebemos um pedido de consulta de uma empresa onde a grande preocupação do representante daquela era "qual a chance de aprovação das operações, qual o custo desta para o assessoramento e qual a forma de pagamento dos honorários - antecipada ou depois -. Em nenhum momento o representante da empresa se preocupou se a situação dela estava realmente PREPARADA ou APTA para tal captação. Se preocupou menos ainda em procurar APRENDER sobre os produtos financeiros do mercado para ditar opções aos negócios daquela empresa.


A mentalidade do "NÃO CONHEÇO, POR ISSO NÃO CONFIO, ENTÃO ESTOU COM A RAZÃO PLENA, NÃO EXISTE EM GESTÃO EFICIENTE".

Em 100% das empresas que atuamos ou iremos atuar ainda, temos a CERTEZA de que "a desorganização é a primeira dificuldade que temos que enfrentar. Coloboradores mal preparados e com total falta de conhecimento no mercado financeiro ocupa quase 100% dos departamentos que gestionamos. Mas, ainda se acham totalmente capacitados para gestionar suas empresas. O primeiro passo para o sucesso em qualquer forma de fomento é o próprio empresa ter a consciência de que seu negócio precisa ser gestionado de forma 'PROFISSIONAL". Não existe mais espaço para 'AMADORISMO" no cenário mundial, pois aqueles que medem a "febre" de seu negócio pelo cenário nacional já ficou bem para trás.

A desconfiança, no final, tende a sobrecair sobre a consultoria contratada. Ela que é a "VILÃ" do processo todo. O BNDES juntamente com os agentes financeiros fazem com maestria a parte deles em complicar o processo; as empresas se quer possuem profissionais básicos, ainda mais um plano de contas ou planejamento de investimentos para sua gestão, e a consultoria que é a culpada pelo sucesso ou não das operações financeiras.

Nós não pactuamos com essa forma de atuar.


Nossa meta busca constantemente eficiência e gestão "ímpar".


"Hoje não são as empresas que nos contratam.  Somos nós que as avaliamos se iremos ou não atuar em seu processo".



Machado Filho


terça-feira, 7 de setembro de 2010



CHEGA DOS ABUSOS DA TELEFÔNICA

O que é o Livre e quais são seus benefícios?
O Livre é o telefone fixo da Embratel. É uma alternativa simples, moderna e mais econômica para você.

Sem assinatura mensal

Você usa todo o valor pago em ligações

Todo o valor pago nos Planos Pós-Pagos ou nos créditos dos Planos Pré-Pagos são utilizados em qualquer tipo de ligação: locais, interurbanas, internacionais e a cobrar.

São várias opções de Planos Pós-Pagos e Pré-Pagos

Você escolhe o plano que melhor se adapta ao seu perfil de consumo. Nos Planos Pós-Pagos, você tem a liberdade de falar o quanto quiser e tem a comodidade de receber sua conta em casa. Já nos Planos Pré-Pagos, você coloca créditos todo mês, permitindo maior controle dos seus gastos.

Aparelhos modernos: O aparelho do Livre é portátil, mais moderno e inteligente que os telefones sem fio convencionais. Utiliza a tecnologia CDMA e o sinal é transmitido através de ondas de rádio WLL (Wireless Local Loop).

Sem instalação: Dispensa fios e não precisa de postes. Você recebe o telefone no endereço indicado e basta carregar a bateria para poder falar.

Serviços gratuitos (exceto para Planos Antigos): Identificador de Chamadas, Chamada em Espera e Secretária Eletrônica.

Para ouvir suas mensagens na Secretária Eletrônica, você paga o valor de uma ligação local para telefone fixo. Ao optar pelo pagamento da conta ou a compra de seus créditos em débito automático, você ainda ganha o serviço Conferência a Três.

Como faço para saber se o Livre está disponível no meu endereço?
Acessar a Loja Livre no site http://www.embratel.com.br/ e preencher os dados para verificar a cobertura.

O aparelho do Livre vai funcionar em qualquer lugar?

O Livre é um telefone fixo e é programado para funcionar dentro do endereço de instalação e funciona em todos os cômodos da residência.

O Livre funciona como um telefone fixo convencional?
Sim, o Livre é um telefone fixo convencional que funcionará dentro da sua residência. Os aparelhos do Livre não possibilitam conectar aparelhos de fax e máquinas de cartão de crédito.

Qual é a diferença entre o Livre e um telefone fixo convencional?
O Livre é um telefone fixo convencional porém tem muito mais vantagens: no Livre não existe a cobrança de assinatura mensal, você paga o valor de comprometimento mínimo do seu plano e utiliza o valor pago para fazer ligações locais fixo-fixo e fixo-móvel, interurbanas e internacionais; os planos do Livre te dão direito aos serviços de identificador de chamadas, chamada em espera e secretária eletrônica gratuitos.

Com o Livre, posso fazer ligações para telefones fixos e celulares, interurbanos e chamadas a cobrar?
Sim. Você pode fazer qualquer tipo de ligação: locais, interurbanas, internacionais e a cobrar. Nos Planos Pós-Pagos, essas ligações são descontadas do valor mínimo mensal. Já nos Pré-Pagos, as ligações são debitadas dos créditos.

Qual é a diferença entre um Plano Pré-Pago e um Pós-Pago?
Nos Planos Pós-Pagos, você escolhe um valor mínimo mensal em reais para fazer qualquer tipo de ligação: locais, interurbanas, internacionais e a cobrar. Com esse valor, você também pode ouvir suas mensagens na Secretária Eletrônica. Se você ultrapassar o valor do seu plano mensal, pode continuar falando normalmente. O excedente será cobrado na sua fatura mensal e a tarifa permanece a mesma.

Já nos Planos Pré-Pagos, você escolhe recargas mensais de diversos valores para fazer qualquer tipo de ligação: locais, interurbanas, internacionais e a cobrar. Com este valor, você também pode ouvir suas mensagens na Secretária Eletrônica. Caso seus créditos terminem, você pode inserir créditos adicionais que variam de acordo com o seu plano.

Que empresa comercializa o Livre?
O Livre é comercializado pela Embratel, uma empresa brasileira líder de mercado em ligações de longa distância, nacional e internacional. A Embratel oferece soluções completas de telecomunicações a todo mercado brasileiro, incluindo telefonia local, longa distância nacional e internacional, transmissão de dados, vídeo e internet, além de assegurar atendimento em qualquer ponto do território nacional por meio de soluções via satélites.

CONCLUSÃO:

NÓS da Machado Filho estamos em franca campanha para a plena distribuição do LIVRE para todas as regiões do país, com a mais clara intenção em suprir o monopólio barato e abusivo da TELEFÔNICA.

A péssima qualidade nos serviços e atendimento da Telefônica é algo impar no cenário comercial das prestadoras no Brasil.

Acima de tudo temos que pagar uma conta que NINGUÉM sabe realmente precisar sua exatidão, ou seja, se realmente sempre pagamos e fomentamos o crescimento do império chamado TELEFÔNICA. 

Só uma coisa os "picaretas" que se escondem atrás deste monopólio se esqueceram:

A Carta Magna de 88 nos concede o "direito ao livre pensamento e o direito ao consumidor", este último complementado pelo Código de Defesa do Consumidor. (perfeito)

Aqui em nosso espaço ficaremos à disposição de nossos leitores para fomentar com máxima atenção a quebra do monopólio da TELEFÔNICA. Participem e vamos buscar nossos direitos assegurados por lei.

Nesta semana estaremos promovendo uma Ação Popular, uma vez que entendemos que o Estado em sua omissão deixa que a moralidade e transparência dos serviços de utilidade pública estejam comprometidos e lesando os contribuintes como um todo. Serviços de comunicação são sim essenciais, para tanto, de competência e responsabilidade do Estado.

Ação Popular: disciplinada na Lei 4741/65 (LAP).

Segundo esta lei, somente os cidadãos têm legitimidade para propor ação popular que vise à anulação de atos lesivos aos bens e direitos de valor econômico, artístico, estético, histórico ou turístico.

Neste sentido, cidadão é o indivíduo em gozo dos direitos civis e políticos, e a prova da cidadania será feita com a apresentação do título eleitoral ou outro documento que a comprove.

"LAP, Art. 1º Qualquer cidadão será parte legítima para pleitear a anulação ou a declaração de nulidade de atos lesivos ao patrimônio da União, do Distrito Federal, dos Estados, dos Municípios (...)

§ 1º - Consideram-se patrimônio público para os fins referidos neste artigo, os bens e direitos de valor econômico, artístico, estético, histórico ou turístico.

§ 3º A prova da cidadania, para ingresso em juízo, será feita com o título eleitoral, ou com documento que a ele corresponda."

A Constituição Federal, em seu artigo 5°, inciso LXXII, ampliou o objeto da ação popular, estabelecendo que esta é um direito fundamental do indivíduo, um remédio constitucional que qualquer cidadão pode utilizar com vistas à proteção do patrimônio público, da moralidade administrativa, do patrimônio histórico e cultural e do meio ambiente.

"qualquer cidadão é parte legítima para propor ação popular que vise a anular ato lesivo ao patrimônio público ou de entidade de que o Estado participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural, ficando o autor, salvo comprovada má-fé, isento de custas judiciais e do ônus da sucumbência;"

"Abusaram dos cidadãos de forma ininterrupta, agora é a vez de se fazer comprimir nossos direitos constitucionais". 


Machado Filho


quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Você sabe o que é CONSULTORIA?

O objetivo primordial da consultoria enfoca explicar e elucidar, passar argumentos e esclarecimentos, experiências e informações de mérito, congruentes às necessidades da empresa consultante, aprimorando e tornando rápidas implementações de mudanças necessárias que permitirão a ela, o desenvolvimento de uma parceria.

Muitos profissionais e empresários evitam contratar uma consultoria, pelo receio de admitir “incapacidade” de realização dos trabalhos típicos do fazer empresarial. Além disto, “consultor” é, hoje em dia, apônimo pejorativo, em face de algumas empresas terem tido más experiências na contratação de algumas consultoras, sem contar o estigma de onerosas.

Portanto, é de fundamental importância desmistificar o papel da consultoria e conhecer as contribuições concretas que esse tipo de serviço pode trazer para as empresas. Depois, é preciso saber exatamente o que a empresa está buscando, que resultados deseja concretamente alcançar..

Uma Consultoria pode oferecer e transferir ao cliente:

•Conhecimentos, métodos de “como fazer”, habilidades e experiências indisponíveis no mercado, os quais podem ser rápida e efetivamente aplicados, para solucionar problemas e conduzir ao aperfeiçoamento das atividades empresariais;

•Visão especializada imparcial na análise e avaliações das atividades existentes na Empresa;

•Treinamento e educação aos funcionários, incrementando métodos atuais, técnicas e filosofias que levarão ao aumento da produtividade do cliente.

Procurar uma Consultoria nos dias atuais pode parecer difícil, porém é uma tarefa simples se consideradas as seguintes questões:

•Você sabe, exatamente, por que está procurando uma Consultoria?
•Você já analisou alguns elementos-chave para saber se a consultoria é a solução de seus problemas?

Elementos Básicos Para a Escolha da Consultoria

Reputação

Fator de extrema importância quando você não conhece pessoalmente o Consultor ou, principalmente, quando você necessita de alguém de reconhecida reputação para conseguir “vender” suas recomendações à Diretoria, "ou a você mesmo".

Experiência

É o tempo e a forma de atuação no mercado, de alguém que já “viveu” o seu problema e pode dar contribuições valiosas. Ainda, deve-se avaliar que uma consultoria viveu ou vive situações adversas em seus diversos clientes de carteira. Sendo assim, fica prático e direcionado avaliar todos os quadros de sua empresa para contribuir com o processo.

Integridade

Disse um filósofo: “De bons amigos, estimação se faça na hora do perigo e não da taça”. Muitas vezes, a consultoria diz coisas que você não quer ouvir, contudo pondere que alguém tem que lhe dizer a verdade que, se ignorada, em casos mais graves pode significar a perda de grandes negócios, ou até mesmo o fim da sua empresa.

Porte

Projeto que envolve grandes recursos não implica, necessariamente, em empresa de consultoria de grande porte. Tamanho nada tem a ver com isso. A manipulação de grandes somas e vultosos recursos pode ser feita por uma pequena empresa. O que vale é o porte de sua capacidade de “fazer acontecer”. É a visão e o perfil estratégico do consultor. Vale citar que consultorias pequenas são até mais discretas do que as grandes. Quanto maior a consultoria maior a necessidade de exposição para atingir grandes clientes.

Pessoal

Toda intervenção exige, no mínimo, um “interface”, isto é, alguém da empresa que deverá absorver as experiências da consultoria. Essa pessoa deverá ser escolhida “a dedo”. Muitas vezes não é o empresário ou mesmo um dos diretores que devem operar diretamente com o consultor, mas sim colaborador(es) com flexibilidade aptidão para executar as tarefas a serem adotadas.

Honorários

"Dinheiro gasto em projetos – até naqueles que não dão certo, não é custo, é investimento".

O aprendizado que fica é irrefutável. Em qualquer projeto de intervenção de consultoria, o que importa é a relação custo-benefício. Os honorários de uma Consultoria podem parecer altos mas, chegado o projeto ao fim com bons resultados, esse gasto é amortizado. Os honorários de uma Consultoria se pagam por si, quando ela é competente, eficiente e profissional.

Prazos

Para a maioria dos projetos, este elemento é de primordial importância. Tempo é dinheiro. Quanto maior a importância do retorno, maior será o peso deste fator. Mas, se você estiver avaliando apenas as necessidades de mudanças futuras, este, com certeza, não será um elemento significativo.

Abordagem

Algumas Consultorias são rígidas, sistemáticas e burocráticas. Outras, mais informais. Os estilos podem variar entre a “participação” e a “imposição”. Veja qual o seu caso. Depende da natureza e da cultura da sua empresa.

Aceitação

A consultoria é um “corpo estranho” no organismo da empresa. Sua não rejeição pelo pessoal também depende da natureza e da cultura predominante na empresa. Seu sucesso depende de pessoas comprometidas com o resultado. Mas atenção: "Sendo um corpo estranho em sua empresa, colaboradores se sentirão "incomodados" com as dinâmicas adotadas e, desta forma, consciente e inconscientemente adotarão posturas expulsivas da consultoria, motivadas por "ignorância ou medo da eficiência destes vir à tona" 

Treinamento

Toda intervenção impõe aprendizado e treinamento. A teoria nada significa se não vinculada à prática. Isto deve ser considerado nos custos quando a intervenção exige longos períodos de treinamento e adaptação.

Aprendizado

O principal produto de uma consultoria é a informação, que deve ser repassada ao cliente. Portanto, é fundamental que o contratante da consultoria e seus funcionários tenham a necessária humildade para aceitar sua nova condição de prosélitos. Difícil esta posição? Para pessoas dotadas do mínimo de inteligencia, NENHUMA dificuldade. Se, quando estudamos estamos captando informações do professor, para depois executá-las na prática profissional, qual é a dificuldade dos gestores e funcionários, com intelegência e perspicácia adotarem tal postura? Aí já se começa a observar a visão do empresário e de seus funcionários como um todo em prol, ou não, do negócio.

Sinergia

Está na capacidade da empresa e da consultoria trabalharem juntos. Neste aspecto, é fundamental avaliar quão bem as partes serão capazes dessa “simbiose”.

Após fazer suas análises e tomar sua decisão, não fique surpreso se o resultado for diferente daquilo que esperava. Isto normalmente acontece. Pode ser que a consultoria não seja o melhor recurso para um projeto específico, como pode ser sua ÚNICA SAÍDA. Assim, a análise dos elementos acima, dá a você a oportunidade de buscar caminhos alternativos – talvez até mais baratos, para atender as necessidades específicas que você esteja procurando para a sua Empresa.

Muito cuidado

Diversas são as formas de fomentos governamentais para o desenvolvimento dos diversos setores produtivos como um todo. Muito se diz sobre "aporte total à micro, pequena e média empresa; Incubadoras 100% eficázes; cursos e técnicas básicas e específicas; gestão de negócios, etc., etc. O que nós consultores privados não conseguimos visualizar nos "aportes" governamentais é a transferência objetiva de alternativas eficázes, ou os chamados "massetes" necessários para se gestionar uma micro, pequena e média empresa no BRASIL. Nós levamos à caminhos OBJETIVOS e não ao que dizem pessoas especificamente doutrinadoras, que não conhecem o dia dia de uma linha de produção, ou de uma fila de banco para descontos, ou qual a linha financeira especificamente direcionada para o negócio, ou qual, ou qual, ou qual.........

Segundo o megaempresário brasileiro e 8ª fortuna do Mundo: "Não preciso do governo pra nada, porque faço tudo dentro da lei e de forma transparente. Meu único mérito é ser desafiador de situações como um todo".

Então, reflita e tome sua decisão de forma acertada.

"O mundo dos negócios não é para amadores e menos ainda para sábios de boteco"