Empréstimos x Caixa Eletrônico

"Fuja do empréstimo no caixa eletrônico".              

(Fonte: PROTESTE)

Apesar da facilidade, os custos são altos demais. E a burocracia para a desistência prejudica o consumidor.

Testamos o sistema de empréstimos em caixas eletrônicos em cada um dos grandes bancos brasileiros. E concluímos que contratar é simples e rápido, e que cancelar é quase impossível. Em nosso estudo, mostramos de forma clara que você pode ser iludido e enganado com essa aparente facilidade, que na verdade lhe induzirá ao endividamento.

Se você tem conta em banco e utiliza o caixa eletrônico, provavelmente já deve ter reparado na oferta de empréstimo “rápido e fácil!" que é constantemente oferecida. Apesar de tentadora, essa oferta pode se transformar em uma armadilha para o seu bolso, pois pode lhe instigar a contratar o empréstimo por impulso. E os custos não justificam essa comodidade, que em nosso teste se revela salgada demais para o seu bolso.

As instituições não alertam sobre os riscos desse tipo de operação. De todos os bancos analisados, apenas um não oferece empréstimos de forma insistente. Os bancos afirmam que seguem políticas de crédito conscientes. Mas constatamos que os bancos apelam ao fazer as ofertas, seduzindo o consumidor.

Postura dos bancos é abusiva

Ao analisar a movimentação bancária dos colaboradores que participaram do teste, pensávamos que as ofertas seriam similares. Entretanto, as ofertas variavam de R$ 4 mil a R$ 12 mil. As taxas também variam. E o mais grave é que alguns bancos anunciam um CET inferior ao verdadeiro.

As instituições criam empecilhos para quem contrata o empréstimo por impulso, dificultando ao máximo o cancelamento da transação. Essa postura é considerada abusiva pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC), por colocar o correntista em desvantagem exagerada.
O direito ao arrependimento, previsto em lei, não é respeitado, com o agravante de que não constavam nem nos caixas eletrônicos, nem nos sites das instituições as informações referentes ao cancelamento.

Veja na matéria de capa da revista Dinheiro & Direitos de dezembro as taxas desse tipo de operação e como cancelar esse serviço caso você contrate por impulso.

Postagens mais visitadas