Pintura branca pode se tornar obrigatória em telhados e coberturas paulistas



Além de diminuir efeitos do aquecimento global, telhados claros também diminuem consumo de energia. Projeto está em tramitação na Assembléia Legislativa de São Paulo
Telhados brancos: conforto ambiental e menor consumo de eletricidade.

A pintura branca em telhados e coberturas de edificações paulistas pode se tornar obrigatória. O projeto de lei 615/2009, do vereador Goulart, foi baseado na campanha One Degree Less, do Green Building Council Brasil (GBC Brasil), que visa a fazer com que as pessoas se conscientizem da importância de pintar os seus telhados para diminuir os efeitos do aquecimento global. A campanha do GBC Brasil foi lançada em 2008. O projeto está em tramitação na Câmara Municipal de São Paulo.

"Estudos provam que em uma metrópole, como São Paulo, se todos os telhados fossem pintados de branco, reduziria em aproximadamente cinco graus a temperatura da cidade. Com esse aumento da temperatura do planeta que está havendo, isto seria um ganho muito grande", destaca o vereador Goulart. Segundo o parlamentar, a medida também poderia reduzir o consumo de energia das construções que realizarem a pintura.

"A tinta branca é refletiva, então faz com que o ambiente que você esteja habitando torne-se mais fresco. Aqui teria um efeito diferenciado porque somos uma selva de pedra. A quantidade de habitações de São Paulo é muito grande. Então, se houver uma adesão forte a essa campanha da redução da temperatura, ela se tornará maior que qualquer outra experiência em função do número de habitações", diz Goulart.

De acordo com o GBC Brasil, a economia de energia pela pintura branca dos telhados pode variar entre 20% e 70%, dependendo da tipologia do empreendimento. "Em uma casa a redução do consumo vai ser maior, porque temos uma cobertura sobre um nível só e isso vai refletir diretamente em todo o ambiente. Em um prédio, o ganho maior será nos apartamentos mais altos", diz o gerente técnico do GBC Brasil, Marcos Casado.

A economia de energia pela pintura branca dos telhados pode variar entre 20% e 70%, dependendo da tipologia do empreendimento, segundo o GBC Brasil.

A economia acontece devido à redução da quantidade de horas que vai estar ligado o ar-condicionado, ventilador ou qualquer outro sistema de climatização que existir dentro do empreendimento. Outro ganho que se pode obter com a pintura dos telhados, segundo o executivo, é a redução das emissões de gás carbônico.

"Estima-se que para 100 metros quadrados de telhado branco, são compensadas 10 toneladas de emissão de CO2 por ano, ou seja, 100 quilos de CO2 por metro quadrado pintado", diz Casado, apontando dados de uma pesquisa do laboratório americano Lawrence Berkeley.

Segundo Casado, os telhados escuros refletem até 20% da luz solar, enquanto que os pintados de branco têm reflexão de cerca de 60%. Além disso, os tetos claros combatem as ilhas de calor nas cidades, melhorando a qualidade do ar e o conforto do ambiente urbano. "Se tivéssemos uma grande quantidade de coberturas pintadas de branco, reduziríamos em até um grau a temperatura do planeta. A medida mantém o ambiente mais fresco durante o dia", diz.

Atualmente, o projeto de lei está na Comissão de Justiça, segundo Goulart. "O trâmite lamentavelmente é moroso, embora a consciência ambiental esteja embutida na mente de muitos parlamentares. Não vejo muitas dificuldades na tramitação desse projeto, é questão de meses para ir a Plenário para votação". Posteriormente passará para a Comissão de Finanças e, em seguida, vai à Comissão de Politica Urbana e Meio Ambiente para que possa ser votado no Plenário. "O trâmite em cada uma das Comissões é de cerca de 30 dias", estima Goulart.
 

Postagens mais visitadas