terça-feira, 21 de julho de 2015

Cientistas descobrem o que faz uma pessoa ter uma atitude altruísta

  • Para os pesquisadores, generosidade aumenta quando levamos em conta pensamentos e experiências do outro
Por que alguém toma uma atitude altruísta? Pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia criaram um modelo computacional para chegar à resposta. E ela é é bem simples: as pessoas são generosas quando acreditam que a necessidade do outro é maior do que a delas.

A dúvida até então era descobrir o que era mais forte na natureza humana: ser generoso ou egoísta -- e para que lado o autocontrole ou a razão pesavam: para sermos mais generosos ou mais egoístas.

O grupo chegou ao modelo após realizar uma pesquisa com 51 homens desconhecidos entre si que tiveram suas atividades cerebrais mapeadas durante uma sessão modificada do "Jogo do Ditador", também conhecido como o "jogo do ultimato". Um dos participantes recebe uma quantidade de dinheiro e poderá escolher abrir mão de uma pequena parte para que o outro ganhe uma quantidade bem maior de dinheiro. Por exemplo, um participante perdia US$ 25 para que o outro recebesse US$ 100.

As imagens dos cérebros dos participantes mostraram diferentes áreas de ativação quando algo em benefício próprio ocorria ou quando um outro voluntário era beneficiado. Em caso de interesse próprio, os pesquisadores relacionaram a área como a de recompensa, e no interesse do outro, com a de empatia. As imagens da atividade cerebral também mostraram que os mais egoístas podem até ter atos de generosidade, mas isso ocorre por um erro do participante.

"Nossos resultados indicam que as pessoas ficam mais felizes quando a generosidade não ocorre por um erro. No entanto, se pudermos aumentar o foco das pessoas nos pensamentos e experiências dos outros, podemos diminuir estes erros enquanto aumentamos as chances de práticas altruístas", disse a autora principal do estudo Cendri Hutcherson.

"O mundo dos negócios não é para amadores e menos ainda para sábios de boteco"